Turquia hoje: Quem está no poder depois do golpe?

Presidente Recep Tayyip Erdogan da Turquia

Turquia hoje:

A democracia estaria ameaçada? Noite de terror nas ruas de Ancara e Istambul anuncia um tempo de incertezas.

Na noite de sexta-feira (15), uma tentativa de golpe militar sacudiu a Turquia. Até o momento estão contabilizados 161 civis mortos e 1.440 feridos. Entre os golpistas são 104 mortos e quase 3 mil presos. Entre estes estão ao menos cinco generais e 29 coronéis.

Fortemente armados, usando inclusive tanques de guerra, militares atacaram o Parlamento e a Agência Nacional de Inteligência.

Pego de surpresa pelo anúncio de que os militares teriam assumido o governo, o presidente Recep Tayyip Erdogan pediu à população que fosse para as ruas.

Uma multidão se dispôs a arriscar a vida na defesa da democracia, tomando os principais pontos da capital Ancara e de Istambul.

Foram fechados os aeroportos e as pontes de Istambul, isolando o lado europeu da parte asiática da cidade.

Golpistas e civis disputaram o controle dos canais de TV e das redações de jornais. Erdogan, que estava na praia de Marmaris, voltou a Istambul e afirmou que continua no poder.

Por que aconteceu o ataque ao governo?

A história do presidente turco é controversa, Erdogan foi primeiro-ministro por onze anos e em 2014, foi eleito presidente pelo Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP).

No início, era ligado ao islã político, mas durante a campanha se mostrou moderado e defendeu a conciliação entre a democracia e as práticas da religião muçulmana, maioria no país.

Eleito por conservadores

Erdogan começou a mostrar seu autoritarismo na repressão a manifestantes que eram contra um projeto polêmico de desenvolvimento urbano em Istambul.

Em 2013, alguns de seus ministros e a família do próprio presidente estiveram envolvidos em um grande escândalo de corrupção, acusados de burlar sanções econômicas impostas pelos EUA, através de trocas ilegais de ouro por petróleo.

Erdogan promoveu então uma “limpeza” nos órgãos do governo que faziam as investigações, causando indignação em grande parte da população.


Caminhão usado no ataque cravado de balas

Atentado em Nice na França fez 84 mortos, veja relato de brasileiros que estavam no local


A posição dos EUA

Os Estados Unidos, que possuem uma base militar no sul da Turquia, próxima à fronteira com a Síria, se posicionaram a favor de Erdogan. Em 2015, o governo turco autorizou o uso da base para ataques aéreos contra ações do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Diante da conturbada situação atual, Obama pediu apoio ao governo de Erdogan e que “dêem sinais de contenção e evitem a violência e o derramamento de sangue”.

O país é a porta do oriente e estratégico no combate ao terrorismo.

O dia seguinte

O chefe provisório das Forças Armadas da Turquia brigadeiro Umit Dundar, se pronunciou na manhã deste sábado (16), afirmando que o golpe fracassou. Agradecendo o povo, partidos políticos e meios de comunicação pelo apoio, ameaçou: “Aqueles que traíram seu país não ficarão impunes”.


segurança olimpiadas rio 2016jpgAtentado em Nice preocupa e coloca o Brasil em alerta máximo para os Jogos Olímpicos


Fuga e pedido de asilo

Oito militares do alto escalão que fugiram para a Grécia de helicóptero foram presos, a aeronave pousou ilegalmente no aeroporto de Alexandroupolis.

Detidos pelas autoridades gregas, eles pediram asilo político, enquanto a Turquia protocolou pedido de extradição. Seria a comprovação do fracasso do golpe?

O presidente em exercício da Turquia garante não ter sido deposto e disse a imprensa, nesta manha de sábado, que seu governo derrubou a tentativa de golpe militar.

Foi noticiado que centenas dos soldados a favor do golpe se renderam. Eles ocupavam pontos estratégicos em Istambul e Ancara, as duas principais cidades turcas.

Segundo informaram mídias locais e agências internacionais de notícias , cerca de 2.300 militares teriam sido presos.

Apesar de parecer que o golpe não se consolidou e que foi praticado por uma minoria, a situação da Turquia é de incerteza.

Atualizada em 16/07 as 13h15m

 

Você pode gostar também