Marcelo Odebrecht afirma: Dilma sabia tudo sobre o esquema do petrolão

Marcelo Odebrecht diz que Dilma sabia tudo sobre o esquema do petrolão. A informação é a da coluna Direto da Fonte, assinada por Sônia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo.

Sonia Racy – O Estado de S. Paulo
Acordo de leniência assinado ontem, delações na mesa, vai aqui quase direto da fonte: Marcelo Odebrecht, em sua delação premiada, livrou Dilma de crime mais grave ao declarar que a ex-presidente nunca pediu recursos para ela mesma.
Entretanto, ele foi claro ao afirmar que ela tinha, sim, conhecimento de todo o esquema da Petrobrás.
Dilma & Odebrecht 2
Assim, na avaliação de jurista conhecido, Dilma teria cometido prevaricação – e por isso poderia ser punida mesmo agora, como cidadã comum.
Como presidente, poderia estar submetida ao art. 85 da Constituição – que, em seu inciso V, considera crime de responsabilidade “a improbidade na administração”.
Que, na prática, é uma das definições da prevaricação

Odebrecht afirma: Dilma sabia tudo sobre o esquema do petrolão

“Dilma não pediu vantagens, mas sabia tudo sobre o esquema” diz Marcelo Odebrecht, em sua delação.
Ex-presidente da empreiteira livrou Dilma de crime mais grave ao declarar que a ex-presidente nunca pediu recursos para ela mesma.
Segundo a coluna, Direto da Fonte, assinada por Sônia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo, a revelação foi feita pelo próprio Marcelo Odebrecht.

Apesar da afirmação grave, Marcelo livrou Dilma de outro crime. O empreiteiro garantiu que a ex-presidente nunca pediu recursos para ela mesma.

Mas isso não a isenta de crime. De acordo com avaliação de um jurista para a coluna Direto da Fonte, Dilma cometeu sim crime de prevaricação. Isso porque teve conhecimento de um crime tão grandioso como este e não tomou providências para punir os responsáveis.

Se ainda fosse presidente poderia ser enquadrada art. 85 da Constituição – que, em seu inciso V, considera crime de responsabilidade “a improbidade na administração”. Como foi destituída, Dilma pode ser punida mesmo como cidadã comum.

Você pode gostar também