Crente pode beber vinho, beber é pecado ou não?

Uma das dúvidas que sempre acompanham os que seguem a doutrina Cristã, é se o crente pode beber vinho ou não, mas afinal beber é pecado?

Uma dos questionamentos entre os cristãos evangélicos, é se o crente pode beber vinho, mas afinal beber é pecado ou não? Veja na bíblia os versículos que falam do vinho e suas várias interpretações.

Não é nossa intenção fazer deste artigo um embate de opiniões nem de confrontamentos de interpretações da Bíblia, deve servir para reflexão, tendo o dever de cada um como crente, o de andar na direção do Espirito Santo.

Devemos primeiro aceitar que foi Deus quem fez as uvas, que quando estão maduras nos presenteiam com seu aroma, doçura no sabor e “bouquet’ deliciosos.

Foi Deus também quem estabeleceu as leis da química, através das quais estes açúcares são decompostos, se transformando em álcool, através da da fermentação, surgindo dai o vinho.

Fez ainda o Senhor, os microorganismos, chamados levedura, necessários como catalisadores nos processos da fermentação,

Ele até mesmo, fez a pele das uvas maduras revestidas de uma camada fina destas células, fazendo o ciclo completo, do fruto até o vinho amadurecido, o reflete a grandeza, a sabedoria e a bondade de nosso Criador.

A grande dúvida, o crente pode beber vinho ou seria pecar?

Em si mesmo, beber “vinho” ou “bebida forte” não é errado aos olhos de Deus (Leia Neemias 5:18, na ARA e AF), não apenas da espécie sem álcool.

(Deuteronômio 14:24-26). Assim, certa ocasião, Neemias, servo de Deus, providenciou que houvesse para o povo “muito vinho de todas as espécies”(1 Coríntios 6:12,13)

Significa isso que você não precisa usar de cautela quanto a tomar bebidas alcoólicas? De modo algum! Pois a Palavra de Deus mostra também ‘o outro lado da questão’.

Há muitas coisas na vida que não são erradas em si mesmas, mas que produzem conseqüências sérias, quando usadas indevidamente ou cedo demais. Já notou isso? É como muitas coisas que Deus criou para o usufruto do homem. Podem ser usadas para o bem ou para o mal.

Por exemplo, será ruim ingerir comida? Não, mas pode torná-lo ruim por habitualmente comer demais ao ponto de se tornar glutão ou comilão.

E Deus não gosta da pessoa que come demais (Leia Provérbios 28:7). É ruim sua mão? Naturalmente que não. É maravilhoso instrumento para uso do homem.

Mas, pode torná-la ruim se a usar para cometer um crime, tal como estrangular alguém com ela. E Deus condena o crime e o assassinato (Leia Êxodo 20:13).

“Os alimentos foram feitos para o estômago e o estômago para os alimentos”, mas Deus destruirá ambos. O corpo, porém, não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo.

Deus concedeu aos humanos a faculdade de procriação, mas esta deve ser usada apenas no casamento honroso, e seu uso pode acarretar pesada responsabilidade com o cuidado de uma família.

Também o fogo, o vapor, a eletricidade e diversas ferramentas podem ser muito úteis aos homens e as mulheres no seu trabalho, mas, quando usadas sem a devida prudência, podem também ser muito prejudiciais, não podem?

O mesmo princípio se aplica ao fato se o crente pode beber vinho ou fazer uso de bebidas alcoólicas.

Neste sentido, o Dicionário de Teologia Bíblica, Volume 2, páginas 1153-4, diz corretamente: “os autores bíblicos advertem contra o excesso ao beber vinho, contra a embriaguez.

Tudo depende da medida, como em toda as outras coisas boas que Deus fez. A qualidade do homem se mede pelo fato de ele saber guardar as medidas.”

Sim, pode transformar em ‘ruins’ as coisas que são ‘boas’ pela forma em que as usa. Assim como a comida e as mãos são coisas boas, assim também é o uso responsável de vinho alcoólico.

Por outro lado, se o crente tomar bebida alcoólica e inebriante, isso pode ter conseqüências sérias, como poderá verificar em outros dos artigos contidos neste site.

“Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu não deixarei que nada domine.
(1 Coríntios 6:12)

Tudo se resume no seguinte: O crente pode beber vinho, mas quer beba, quer não, faça de maneira respeitosa para consigo próprio, para com outros, e, principalmente para com Deus!

Você pode gostar também