Seguro Desemprego e FGTS: Reforma muda forma de pedir benefícios

A mudança da Reforma Trabalhista passa a valer para quem tem mais de um ano de registro, empregado veja o que mudou na forma de pedir Seguro Desemprego e FGTS na Caixa.

Da Veja.com: a mudança da Reforma Trabalhista vai simplificar a maneira de pedir o Seguro Desemprego e FGTS e vai valer para funcionários com mais de um ano de registro, mudança deve vigorar a partir de 11 de novembro.

O Ministério do Trabalho, através da Reforma Trabalhista, estuda a nova regulamentação para os benefícios sociais do governo que valerá para requerer o seguro-desemprego e fazer saque do FGTS ( Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Pelas regras atuais, para pedir o Seguro Desemprego e FGTS, trabalhador tem que apresentar o termo de rescisão contratual e outros na Caixa Federal.

Com a mudança, partir do dia 11 de novembro deste ano, vigorando a reforma trabalhista, empregadores não terão mais que homologar a rescisão contratual nos sindicatos, valendo para funcionários com mais de um ano de registro na casa.

Mudança vai simplificar a forma de pedir Seguro Desemprego e FGTS

A simplificação vai agilizar a forma de receber o Seguro Desemprego e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, somente a anotação da extinção do contrato de trabalho na carteira valerá como documento válido, para requisição dos benefícios, podendo realizar o saque na conta de FGTS.

Perguntado sobre a mudança, o Ministério do Trabalho confirmou ao portal Veja.com, que a extinção do contrato anotado na carteira do trabalhador registrado, passará a ser o único documento exigido para requisição dos benefícios.

O Ministério do Trabalho está focado em consolidar algumas questões que surgem justamente devido às mudanças da lei, e o procedimento para requerer o benefício do seguro-desemprego está entre elas”, informou.

Forma de requerer FGTS e Seguro Desemprego não muda ate dia 10 de dezembro

Vale ressaltar, para requerer Seguro-desemprego e FGTS, não mudam antes do dia 10 de novembro de 2017, reitera o Ministério do Trabalho.

Você pode gostar também